Cirurgia de Vesícula

A colelitíase ou pedra na vesícula é uma doença muito freqüente. Existem diversas teorias sobre as causas do aparecimento deste problema. Alguns fatores predisponentes importantes são: idade, sexo feminino, diabetes, obesidade, história familiar, dieta entre outros.A presença de cálculos na vesícula biliar, por si só, causam poucos sintomas. Esses surgem quando da mobilização dos mesmos com obstrução do ducto cístico ou do hepatocolédoco, chamada de cólica biliar.Não se sabe ao certo as razões por que a colelitíase pode evoluir assintomaticamente enquanto em outras produz sintomas e/ou complicações. Os principais sintomas são: dor, especialmente após dieta rica em gordura, icterícia (mucosas ficam amarelas) quando há obstrução do canal da bile, febre quando há inflamação aguda da vesícula.As principais complicações são: colecistite aguda, colangite, coledocolitíase e pancreatite aguda. Com o passar dos anos, o risco de câncer de vesícula também aumenta.O diagnóstico da colecistite crônica calculosa e suas complicações é feito pela história clínica do doente, exame físico, exames de laboratório, exames ultra-sonográficos, exames radiológicos feitos no pré-operatório e durante a operação. Dos sintomas já citados a cólica biliar é a mais característica. O tratamento indicado é a retirada da vesícula biliar. Normalmente este procedimento é feito por laparoscopia, que consiste na realização de pequenos cortes (ou furinhos). A recuperação é rápida e em pouco tempo o pacientes pode retornar às suas atividades diárias. Para saber mais veja um capítulo de livro sobre o assunto (clique aqui).